Fique por dentro das últimas notícias

Como a indústria pode extrair valor do Digital Twin

08/11/2017

Como a indústria pode extrair valor do Digital Twin

Na agroindústria a Pentagro é benchmark em Digital Twin, ou Gêmeo Digital.

Na chamada indústria 4.0 há uma ponte que liga o mundo físico e o virtual e que atende pelo nome de digital twin ou, em coloquial português, gêmeo digital. Trata-se, em resumo, da versão virtual de um produto ou da linha de produção do mesmo. Uma espécie de espelho digital onde uma série de tecnologias emergentes como a Internet das Coisas, big data, analytics, cloud e software de simulação desempenham papéis fundamentais.

Muito tem se falado a respeito da digitalização na manufatura e empresas de PLM (sigla para gerenciamento do ciclo de vida do produto) têm concentrado esforços e investimentos para levar aos seus clientes ferramentas que habilitem o digital twin, professado como um dos pontos centrais da fábrica do futuro.

A tecnologia tem sido usada por grandes companhias como a NASA e Boeing e, apesar de estar em seu estágio inicial em termos de adoção da indústria, seu uso é visto como um atalho competitivo para garantir eficiência em custos, tempo e energia. Prova disso é o Gartner ter eleito o digital twin como uma das dez tendências tecnológicas estratégicas para 2017. A consultoria aposta que dentro de três a cinco anos, bilhões de coisas serão representadas por seus gêmeos digitais.

A evolução da fábrica

Até o início do século 21, a única forma de obter informações detalhadas sobre o status de um equipamento industrial era estar fisicamente próximo a ele. Entretanto, a medida que a conectividade e o poder de computação avançam a indústria começa a se beneficiar da digitalização e integração de seus processos.

“Design generativo, modelos inteligentes, machine learning, robótica. Todas essas tecnologias estão mudando a forma como pensamos o produto, como ele chega ao mercado e como, finalmente, evolui. Há uma série de tecnologias habilitadoras que estão mudando a forma como você pensa o gêmeo digital”, pontua Tony Hammelgarn, CEO da Siemens PLM em evento da fabricante sediado em Indianápolis (EUA) em maio.Com o digital twin, é possível criar, testar e até mesmo construir um equipamento em um ambiente virtual. Hammelgarn segue dizendo que a digitalização de toda a cadeia de valor de uma companhia é a espinha dorsal de empresas que têm mostrado grande capacidade de inovar, uma vez que “o digital twin permite tomar decisões rápidas e responder a essa disrupção da mesma forma", resume.“Você consegue simular esse produto muito antes de ele existir, assim como sua manufatura e detectar desde o princípio o quanto de perda terá com determinados limites dimensionais e geométricos”, explica Renato Leite, engenheiro de produção e Business Development da Siemens Brasil em entrevista à Computerworld Brasil.

Retirado do site: http://computerworld.com.br/como-industria-pode-extrair-valor-do-digital-twin-1/